04 março 2011

Como Treinar o seu Dragão


Você pode voar em vassouras, ter um cão infernal de estimação, até morar num pântano, mas você já pensou em morar numa ilha com vikings, e poder voar em dragões, que por sinal, são seus animais de estimação? Não? Mas a Cressida Cowell pensou, a DreamWorks gostou, e o resultado disso tudo é a animação em 3D que concorreu ao lado de "Toy Story 3" e "O Mágico" ao Oscar de melhor longa metragem de animação, "Como Treinar o seu Dragão (How to Train your Dragon)".


Soluço, um garoto franzino, é a vergonha de sua tribo de Vikings. Enquanto todos são fortes, corajosos e hábeis, ele é magricelo, desastrado e nunca conseguiu capturar um dragão.  
As coisas começam a desandar de verdade no dia em que ele, diante do ataque de dragões à ilha de sua tribo, resolve mostrar o quão corajoso ele poderia ser e quem sabe limpar sua má reputação diante do povo. 
Se ele consegue? Sim, e não só como consegue capturar um Fúria da Noite, classificado como um dos mais fortes dragões, - tão fortes que nenhum herói foi capaz de capturá-lo, nem ao menos sobreviveram para contar a história ou sua aparência - como também consegue ser atacado por um outro dragão e causar alguns danos a arquitetura da ilha. O problema maior está longe de ser esse. Soluço acaba achando o Fúria da Noite caído na floresta, e tinha a oportunidade perfeita para matá-lo e ter seu nome honrado, mas ele simplesmente não teve coragem, não quis. 
Ao longo do filme, Soluço e Banguela - nome dado ao dragão por ele quase sempre estar com suas presas escondidas, fazendo-o parecer banguela - criam uma amizade, e o menino percebe então que os dragões não são mals como parecem, eles atacam apenas para se defender de tantos anos de ataque dos Vikings, e que eles então poderiam domá-los e assim conviverem em harmonia.
Mas como convencer a todos disso? Este é o grande desafio.


Um filme com grandes e ótimas doses de humor, muitas vezes fofas, indicado para todas as idades. Com personagens donos de personalidades únicas e marcantes, uma história nem tão inovadora, mas com certeza um trabalho admirável. Se você acompanhou os filmes Shreck e Kung Fu Panda, poderá notar uma mudança na DreamWorks, muito positiva por sinal. Finalmente eles resolveram arriscar em inovações de história e até mesmo de gráficos, e os resultados são extremamente animadores. Eu, sinceramente, espero que eles invistam em adaptar os outros livros da saga de Cressida Crowell para as telas.


E falando nos livros, eu ainda não li nenhum, mas vontade é que não me falta (e por sinal eu estou aberta à doações dos mesmos!). Como toda adaptação, com certeza há diferenças do livro pro filme, e eu pretendo ler os livros e trazer resenhas para vocês. 

Tecnologia do Blogger.

Amanda, ou Tama, ariana de 17 anos. Formanda, viciada em muitas coisas, projeto de geek e chata de coturnos, porque galocha não é legal.

Instagram

Dê um like!

Seguidores

Assine os feeds

Parceiros

No seu blog

Arquivos